domingo, 25 de janeiro de 2015

Andressa Urach "Tomo calmantes para segurar meu impulso pela fama"

A apresentadora que ficou um mês entre a vida e a morte fala de sua obsessão pelo corpo perfeito, da corrida desenfreada pelos flashes e de como pretende reformular a carreira

revista de celebridades


A gaúcha de Ijuí Andressa Urach levou seis anos para realizar o sonho de trabalhar na tevê. Aos 27 anos, no ar na Rede TV! como uma das apresentadoras e repórteres do “Muito Show”, a busca pelo padrão de beleza que despertasse a atenção de flashes e a levasse para capas de revistas e estúdios de tevê por pouco não a matou.

Dentre dez intervenções cirúrgicas que modificaram completamente sua aparência, infiltrações de 500 ml de hidrogel deram-lhe coxas grossas a partir de 2010 e, em novembro passado, a levaram ao coma com um quadro de sepse, que fez parar seus rins. Entre a vida e a morte por um mês, a ex-vice Miss Bumbum, ex-dançarina do cantor Latino, ex-assistente de palco e mãe de Arthur, 9 anos, deixou o hospital com seis quilos a menos – pesava 70 –, dezenas de pontos e dois buracos ainda abertos, da espessura de quatro dedos cada nas desejadas pernas robustas, para drenar líquidos. A modelo, que virou notícia novamente por isso, conta detalhes da sua corrida desenfreada pela fama, da quase morte no hospital em nome da vaidade exacerbada e de como pretende reformular sua vida artística.

Como tem se recuperado depois de quase morrer por causa da aplicação malsucedida de hidrogel nas coxas?

ANDRESSA URACH -
Ainda tenho dois buracos de quatro dedos em cada uma das pernas, de onde são drenados os líquidos da cicatrização.Estou em casa sendo monitorada. Desde a alta, um grupo de médicos passou a vir em casa para me dar três antibióticos – um deles, na veia. Esse procedimento terminou na semana passada. Só que, depois de três meses de antibióticos, meu corpo sente falta da droga e tenho vomitado bastante. Estou com anemia, porque perdi muito sangue no processo todo, e sinto fraqueza, tonturas. Minha rotina, hoje, é ir do quarto para a sala e vice-versa e ser levada de carro por uma técnica de enfermagem para fazer a oxigenoterapia (inalação de oxigênio medicinal a 100% de pureza, dentro de uma câmara hiperbárica). Estou de castigo em casa, o que é muito difícil. 


Para acabar de ler a matéria, clique nesse link
http://www.istoe.com.br/assuntos/entrevista/detalhe/401487_TOMO+CALMANTES+PARA+SEGURAR+MEU+IMPULSO+PELA+FAMA+


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja sempre benvindo ao meu blog! Agradeço seu comentário.